quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Diretor do INPE é "Senior Member" da ACM

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada hoje (31/08) no site do “Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)” destacando que o diretor do INPE, Gilberto Câmara, foi escolhido como "Senior Member" da Association of Computing Machinery (ACM).

Duda Falcão

Diretor do INPE é "Senior Member" da ACM

Quarta-feira, 31 de Agosto de 2011

Gilberto Câmara, cientista da área de Geomática e diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), foi escolhido como "Senior Member" da Association of Computing Machinery (ACM), a mais importante sociedade cientifica internacional dedicada à Computação, com mais de 90 mil membros em todo o mundo.

O título de "Senior Member" é dado a membros da ACM com pelo menos 10 anos de experiência profissional que, a critério de seus pares, mostraram desempenho diferenciado em atividades na área de Computação.

Mais informações:

Perfil

Diretor do INPE desde dezembro de 2005, Gilberto Câmara ingressou na instituição em 1980. Graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto de Tecnologia da Aeronáutica (ITA), fez mestrado e doutorado em Computação no INPE. Como líder da equipe de P&D em Geoprocessamento do Instituto, participou do desenvolvimento de importantes softwares de sensoriamento remoto e processamento de imagens de satélites e de projetos como DETER e PRODES, de monitoramento da Amazônia.

Em abril deste ano, Gilberto Câmara recebeu o título de Doutor Honoris Causa na Universidade de Münster, uma das maiores da Alemanha, em reconhecimento ao seu trabalho inovador na área de Geomática.

Gilberto Câmara é também professor dos cursos de pós-graduação em Sensoriamento Remoto, Computação Aplicada e Ciência do Sistema Terrestre do INPE. Mais informações sobre seu currículo, palestras e apresentações de seus trabalhos na página http://www.dpi.inpe.br/gilberto/


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Comentário: O blog “BRAZILIAN SPACE” parabeniza o senhor Gilberto Câmara pelo reconhecimento e aproveita a oportunidade para lamentar desde já a sua saída do INPE, entendendo porém a sua decisão, já que não deve ser nada fácil submeter-se a políticos de...loides como os que militam nos bastidores da política brasileira na obscura Brasília.

Funerária Oferece Serviço de Envio de Cinzas ao Espaço

Olá leitor!

Segue abaixo outra matéria publicada dia (29/08) no site “paran@shop” destacando que uma funerária curitibana começou oferecer serviços de envio de cinzas humanas para o espaço.

Duda Falcão

Gente e Negócios

Funerária Curitibana Agora Oferece
Serviços para Enviar as Cinzas ao Espaço

29/08/2011

Lançamento do foguete com cinzas para o
espaço sideral - foto: divulgação
A decisão sobre o destino final das cinzas resultantes da cremação é algo que preocupa familiares dos falecidos. Na maioria dos casos, por desejo expresso ainda em vida, a opção é espalhá-las em jardins ou lançá-las ao mar, sempre em locais muito especiais para quem partiu. Mas se o planeta Terra não vai ser mais o habitat, que tal buscar o descanso eterno na órbita espacial? A partir de R$ 3.700,00, o Crematório Vaticano, de Curitiba -- primeira empresa brasileira a oferecer serviços funerários no espaço – garante que está pronto para receber interessados em terem seus restos mortais lançados na Via Láctea. Em parceria com a companhia americana Celestis Incorporated, o “funeral espacial” segue os moldes de uma cerimônia tradicional. O corpo é velado por amigos e familiares e em seguida é feita a cremação. Até aí, tudo normal. Posteriormente, parte das cinzas (30 gramas) é colocada em uma pequena cápsula que é enviada aos Estados Unidos, para a sede da Celestis, no Texas, ficando o restante à disposição da família. A cápsula com as cinzas permanece nos EUA até o lançamento do foguete que vai levá-la ao seu destino final. A viagem é feita do lado externo da espaçonave que, ao entrar em órbita, abre a urna e esparge os restos mortais no espaço. A empresa oferece hoje quatro alternativas para isso: as cinzas podem ser lançada dentro ou fora da órbita terrestre; na órbita lunar ou na superfície da Lua. A família poderá inclusive acompanhar todo o translado da cápsula do Brasil até os EUA, desde que pague os custos da viagem; pode assistir ao vivo o lançamento do foguete, que é gravado em vídeo e poderá ser exibido numa sessão em memória do falecido.

Jornada nas Estrelas

O Crematório Vaticano é o representante oficial da Celestis no Brasil, que por sua vez tem um convênio com a NASA, a agência espacial dos Estados Unidos. Mylena Cooper, diretora do Crematório, afirma que até hoje nenhum brasileiro teve suas cinzas enviadas ao espaço, mas esse serviço já está sendo prestado nos Estados Unidos, no Japão e na Alemanha. “Essa é uma forma única de homenagear o ente querido que tinha paixão por astronomia, astrologia, ficção, vôos espaciais ou simplesmente uma forma inusitada de homenagear quem partiu com a simbologia da proximidade do céu” , completa. Esse destino, porém, ainda é um privilégio para poucos. Gene Roddenberry, criador da série “Star Trek”, e o ator James Doohan, que interpretava o personagem Montgomery Scotty , na trilha original de “Jornada nas Estrelas” e outra lenda norte-americana, o astronauta Gordon Cooper, um dos primeiros homens a pilotar uma nave tripulada, foram alguns dos que embarcaram nessa viagem final ao espaço sideral. Quem mais deseja se juntar a eles?

Mais informações: (41) 3019-3006 - www.crematoriovaticano.com.br


Fonte: Site “paran@shop” - 29/08/2011 - http://www.paranashop.com.br

Comentário: Curiosa notícia para uma sociedade que as pessoas em sua maioria nem sabe que o país tem um programa espacial em andamento, mas ajuda demonstrar o quanto a tecnologia espacial caminha para ser fundamental nas sociedades mais desenvolvidas do planeta. Infelizmente os “Cabecinhas de Panetone’ do Congresso e do governo DILMA ainda não entenderam isso, o que certamente trará grandes conseqüenciais a sociedade brasileira do futuro.

Talentos da APE Foram Sucesso do PTC Day 2011

Olá leitor!

Segue abaixo um comunicado publicado ontem (30/08) no site do “Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)" informando que o 1º Tenente Engenheiro Luís Antonio Silva da Divisão de Propulsão Espacial (APE) do IAE foi premiado com o primeiro lugar na categoria Aeroespacial e Defesa no PTC Day 2011.

Duda Falcão

Talentos da APE Foram o
Sucesso do PTC Day 2011

Campo Montenegro
30/08/2011

A PTC (Parametric Technology Corporation) é uma empresa desenvolvedora de aplicativos que visam o auxílio nas áreas de projeto, análise, manufatura e gerenciamento do ciclo de vida do produto. Anualmente é realizado em diversos países o evento PTC Technology Day onde são ministradas palestras e conferências técnicas por especialistas nas áreas de CAD, CAE, CAM e PLM. No Brasil também foram convidadas empresas de destaque na utilização de soluções PTC para a apresentação de seus casos de sucesso. O IAE foi representado pelas divisões de Propulsão Espacial e Mecânica, sendo apresentada como caso de sucesso a aplicação de três softwares no projeto do Motor Foguete à Propulsão Líquida L75. Uma equipe composta por diretores da PTC selecionou quatro melhores trabalhos para uma apresentação aos mais de 350 participantes desta 5ª. Edição do PTC Technology Day 2011. Finalmente, a apresentação do Motor L75 foi premiada com o primeiro lugar na categoria Aeroespacial e Defesa. A apresentação realizada pelo 1º Tenente Engenheiro Luís Antonio Silva despertou grande interesse dos participantes pelo nível de complexidade e excelência na aplicação das soluções ProEngineer, Windchill e MathCAD.



Fonte: Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)

Comentário: O Blog “BRAZILIAN SPACE” parabeniza o IAE/APE e o 1º Tenente Engenheiro Luís Antonio Silva pela conquista, demonstrando que o desenvolvimento do motor-foguete líquido L75 segue no caminho certo.

Astrônomo Brasileiro Acha Estrelas com Massa de 80 'Sóis'

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada dia (30/08) no site do jornal “Folha de São Paulo” destacando que um astrônomo brasileiro achou estrelas com massa de ’80 sois’.

Duda Falcão

Ciência

Astrônomo Brasileiro Acha
Estrelas com Massa de 80 'Sóis'

SABINE RIGHETTI
DE SÃO PAULO
30/08/2011 – 09h00

Um astrônomo brasileiro radicado no Chile e sua equipe da Universidade de La Serena descobriram duas estrelas novas, muito maciças, brilhantes e aparentemente isoladas na Via Láctea.

Essas características fazem desses objetos (batizados de WR20aa e WR20c) astros extremamente raros na galáxia.

Os astrônomos estimam que as estrelas tenham até 2 milhões de anos (jovens, em termos astronômicos).

Além disso, as estrelas podem ter, cada uma, pelo menos 80 vezes a massa do nosso Sol --o que também não é muito comum encontrar.

"A galáxia pode conter vários bilhões de estrelas, mas a maioria tem massa pequena", diz o físico e astrônomo Alexandre Roman Lopes, coordenador do trabalho.

O que os cientistas não esperavam era encontrar essa dupla de estrelas isolada na galáxia. Como esse tipo de estrela vive pouco (alguns milhões de anos), em geral elas não têm tempo de se distanciar de onde se formaram.

Isso resulta em aglomerados de estrelas na galáxia, próximos à sua "fábrica".

Essas "fábricas" funcionam no interior de enormes aglomerados de gás e poeira onde, sob efeito da força gravitacional, acontece a concepção estelar.

Por estarem muito longe do local de origem, a dupla é candidata a "runaway", ou seja, objetos estelares que viajam a uma grande velocidade e se distanciam cada vez mais de onde nasceram.

EXPULSÃO

Os pesquisadores acreditam que a dupla tenha sido ejetada de um superaglomerado de estrelas de altíssima massa chamado Westerlund 2, que fica na direção da constelação de Carina, a cerca de 26 mil anos-luz do Sol.

No centro desse aglomerado, existe um grupo compacto de estrelas muito brilhantes onde são observadas nuvens de gás remanescente do seu processo de formação.

Eles descobriram que uma linha imaginária conectando as duas estrelas "cruza" o aglomerado exatamente na sua parte central. Isso significa que elas devem ter saído de onde está o "berçário" dos objetos de grande massa.

"Estudos de dinâmica estelar prevêem que estrelas de massa muito grande não convivem bem entre si. Algumas sempre acabam expulsas pelas companheiras", explica.

O trabalho, que tem apoio do Observatório Las Campanas e do ESO (Observatório Europeu do Sul, na sigla em inglês), estará na "MNRAS" ("Monthly Notices of the Royal Astronomical Society") do mês de setembro.

SUPERMACIÇAS PODEM EXPLICAR ORIGEM DA VIDA

O estudo das estrelas supermaciças, além de contribuir para a compreensão da formação estelar, pode ajudar a explicar a origem da vida. Essas estrelas produzem, no seu interior, oxigênio, carbono e nitrogênio, e no fim da sua evolução, até ferro.

"Os elementos mais complexos necessários à vida são produzidos por estrelas maciças. De certo modo, somos filhos desse tipo de estrela", diz Lopes.


Fonte: Site do Jornal “Folha de São Paulo” - 30/08/2011

Argentina e Brasil Estudam Criação de Agência Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada ontem (30/08) no site “IG” destacando que a Argentina e o Brasil estudam a criação de agência espacial sul-americana.

Duda Falcão

Economia - Empresas - Infraestrutura

Argentina e Brasil Estudam
Criação de Agência Espacial

Ministros da Defesa dos dois países defendem
necessidade de lançador de satélites sul-americanos

EFE
30/08/2011 17:53

O ministro da Defesa, Celso Amorim, recebeu nesta terça-feira a proposta para a criação de uma agência espacial sul-americana de seu colega argentino, Arturo Puricelli. Puricelli, que participou do seminário "A Indústria de Defesa como indutor da Transformação da Defesa Nacional", pediu às autoridades e empresas dos dois países a criação de uma estratégia que permita à região desenvolver o setor espacial.

"Nossas comunicações estão dependentes da prestação de serviços que são dados por satélites de países de outras regiões e por isso devemos somar esforços para chegar ao espaço com uma agência espacial sul-americana", justificou o ministro argentino.

Puricelli destacou para tal propósito os "espaços existentes e a capacidade brasileira", além das "potencialidades" da Argentina nesse campo, que, segundo ele, "podem ser muito bem aproveitadas". "O que nos impede de ter um lançador de satélites sul-americano? O desafio dos ministros é criar uma agenda espacial sul-americana e ter satélites próprios em 2025", considerou.

Em 2025, lembrou o ministro, os países que não disponham de radares para seu espaço aéreo civil terão que comprar o serviço de outras nações que desenvolvam esse tipo de tecnologia. No entanto, Puricelli disse à Agência EFE que a proposta ainda é "uma idéia para ser bem trabalhada antes de ser concretizada". Sobre a proposta de seu colega argentino, Amorim afirmou à EFE que o Brasil considera a iniciativa "positiva e adequada", pois "contribui para a confiança" entre os países sul-americanos e para transformá-los em uma "comunidade de segurança".

Em seu discurso durante o seminário, Puricelli argumentou que a América do Sul tem "muitas coisas para defender" e ressaltou a produção alimentícia conjunta entre Argentina e Brasil, "que é a maior do mundo", além de riquezas naturais como os reservatórios de água do Aquífero Guarani, os recursos energéticos e a Amazônia.

Os dois ministros, após participar do seminário que reunirá até amanhã aos altos comandantes militares e representantes da indústria bélica brasileira, tiveram uma reunião de trabalho. O encontro foi o primeiro de caráter internacional desde que Amorim assumiu a pasta da Defesa no dia 8 de agosto.


Fonte: Site G1 do globo.com

Comentário: A proposta argentina parece-me ser séria, pois vem de um país que diferentemente do Brasil conduziu seu programa espacial com a seriedade necessária, apesar das dificuldades financeiras que vive. Sinceramente com a mentalidade reinante há décadas no governo brasileiro, dificilmente essa proposta argentina não seja conduzida unicamente como moeda política de boa vizinhança, como já demonstra claramente em suas palavras o 'Ministro da Defesa' brasileiro Celso Amorim. Infelizmente os governantes brasileiros não entendem a importância do programa espacial do país, apesar de taxá-lo para mídia e para sociedade como estratégico. No entanto a vontade argentina de criar uma agência espacial no continente sul-americano em nossa opinião chega em boa hora, apesar do blog defender desde que foi criado em 2009 de que a criação de uma Agência Espacial Latino-America (AELA), conduzida por Brasil, Argentina, México e Chile, seria uma opção bem melhor.

Cabeça nas Estrelas e Pés no Chão

Olá leitor!

Segue abaixo outra matéria publicada dia (30/08) no site “Diário da Amazônia” destacando que aluno de Rondônia ira participar da Jornada Espacial em São José dos Campos (SP).

Duda Falcão

Cabeça nas Estrelas e Pés no Chão

30/08/2011

Uma disputa acirrada em prol do conhecimento contou com a participação de mais de 800 mil alunos de escolas particulares é públicas de todo o Brasil: trata-se da XIV Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) realizada em maio desse ano. Um aluno de Rondônia conseguiu ficar entre os 40 selecionados para participar da Jornada Espacial que acontecerá em São José dos Campos (SP), de 30 de outubro a 5 de novembro.

A classificação surpreendeu até mesmo Rafael Izidoro dos Santos, 17 anos, aluno do 3º ano do Colégio Don Bosco, que conseguiu conquistar a classificação. No ano passado ele também tinha participado da Olimpíada, mas não conseguiu expressividade. Este ano foi diferente. Física, Química e História são as disciplinas que Rafael mais gosta. Ele conta que sempre se interessou e teve curiosidade pelo espaço.

Apesar da escola ter tido mais de 20 alunos participando da Olimpíada, apenas Rafael conseguiu a classificação. Rafael não fez uma preparação especial para a olimpíada, mas afirma que sempre presta muita atenção em sala de aula sobre os conceitos que envolvem a astronomia. “A prova de questões abertas exigiu muita interpretação”.

O diretor pedagógico da escola, Jean Barcell Caldin, fala do orgulho que todos da escola sentem por Rafael garante que a escola sempre incentiva a participação dos alunos em eventos de conhecimento. “É uma forma que o colégio tem para, através dessas atividades, desenvolver o desempenho dos alunos e ao mesmo tempo colocar em prática o que eles aprenderam em sala de aula”.

Mesmo com a afinidade com a Astronomia, Rafael pretende fazer o curso de Direito, e em seguida de Engenharia. Filho de uma funcionária pública e de um militar aposentado, Rafael diz que sempre teve o apoio dos pais com incentivo aos estudos e a liberdade para escolher o curso superior que tem vontade de fazer. Agora, o estudante esta na expectativa de participar da Jornada Espacial, onde poderá visitar o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial. Além da oportunidade de conhecer pesquisadores de astronomia e astronáutica.

Outras 133 escolas de Rondônia estão inscritas nas olimpíadas. O evento é organizado pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB) e com Eletrobrás/Furnas. A primeira edição ocorreu em 1998.


Fonte: Site “Diário da Amazônia” - 30/08/2011 - http://www.diariodaamazonia.com.br

Comentário:  O blog “BRAZILIAN SPACE” parabeniza ao jovem Rafael Izidoro dos Santos, mas confessamos que gostaríamos  de vê-lo desenvolvendo sua competência na área espacial ou astronômica, já que advogados, o Brasil já dispõem mais que suficiente.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Argentina Propone Brasil la Creacíon de la AES

Hola Lector!

Sigue abajo una comunica puesta hoy (31/08) en el website español “http://www.adn.es” destacando que Argentina propone a Brasil la creación de una Agencia Espacial Suramericana.

Duda Falcão

adn » internacional

Argentina Propone a Brasil la Creación
de una Agencia Espacial Suramericana

Miércoles, 31 de agosto de 2011
Actualizado a las 03:15h

EFE/Sao Paulo - El ministro de Defensa de Argentina, Arturo Puricelli, le propuso hoy en Sao Paulo a su homólogo brasileño, Celso Amorim, la creación de una agencia espacial suramericana.

Puricelli, que participó en el seminario "La industria de defensa como inductor de la transformación de la defensa nacional", instó a las autoridades y empresas de los dos países a crear una estrategia que le permita a la región desarrollar el sector satelital.

"Nuestras comunicaciones están dependientes de la prestación de servicios que son dados por satélites de países de otras regiones y por eso debemos sumar esfuerzos para acceder al espacio con una agencia espacial suramericana", justificó el ministro argentino.

Puricelli destacó para tal propósito los "espacios existentes y la capacidad brasileña", además de las "potencialidades" de Argentina en ese campo, que, según él, "pueden ser muy bien aprovechadas".

"Tener un lanzador satelital suramericano. ¿Qué nos lo impide? El desafío de los ministros es apropiarnos de la agenda espacial suramericana y tener en 2025 satélites nuestros, suramericanos", apuntó.

En 2025, recordó el ministro, los países que no dispongan de radares para su espacio aéreo civil tendrán que comprar el servicio a otras naciones que desarrollen ese tipo de tecnología.

No obstante, Puricelli señaló a Efe que la propuesta todavía es "una idea, una idea para trabajar, y mucho, y poderla así concretar".

Sobre la propuesta de su colega argentino, Amorim indicó a Efe que Brasil considera la iniciativa "positiva y adecuada" pues "contribuye para la confianza" entre los países suramericanos y para transformarlos en una "comunidad de seguridad".

En su discurso durante el seminario, Puricelli argumentó que Suramérica tiene "muchas cosas por defender" y resaltó la producción alimentaria conjunta entre Argentina y Brasil, "que es la mayor del mundo", además de riquezas naturales como los reservorios de agua del acuífero Guaraní, los recursos energéticos y la Amazonía.

Los dos ministros, después de participar en el seminario que reunirá hasta mañana a los altos mandos militares y representantes de la industria bélica brasileña, tuvieron una reunión de trabajo.

El encuentro fue el primero de carácter internacional desde que Amorim asumió la cartera de Defensa el pasado 8 de agosto y previo a su viaje del próximo 5 de septiembre a Buenos Aires.


Fuente: Website  español  - http://www.adn.es

Comentario: La propuesta argentina me parece ser seria, pues viene de un país que diferentemente de Brasil ha conducido su programa espacial con la seriedad necesaria, a pesar de las dificultades financieras que vive. Sinceramente con la mentalidad reinante hay décadas en el gobierno brasileño, difícilmente esa propuesta argentina no sea conducida únicamente como moneda pólítica de buena vizinhança, como ya demuestra claramente en sus palabras el 'Ministro de la Defensa' brasileño Celso Amorim. Infelizmente los gobernantes brasileños no entienden la importancia del programa espacial del país, a pesar de taxá-lo para mídia y para sociedad como estratégico. Sin embargo la gana argentina de crear una agencia espacial en el continente suramericano en nuestra opinión llega en buena hora, a pesar del blog defienda desde que fue creado en 2009 de que la creación de una Agencia Espacial Latino-America (AELA), conducida por Brasil, Argentina, México y Chile, sería una opción bien mejor. Aprovechamos para agradecer al lector 'André C. Castro' por el envío de esta materia.

Professor Alemão da Universidade de Jena Visita ITA

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota publicada hoje (30/08) no site da “Força Aérea Brasileira (FAB)” destacando que professor alemão da Universidade de Jena visita Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Duda Falcão

Professor Alemão da
Universidade de Jena Visita
Instituto Tecnológico de Aeronáutica

ITA
30/08/2011 – 15h53

O Grupo de Materiais Semicondutores e Nanotecnologia (GMSN) do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) conta com a presença do professor Jürgen Furthmüller, da Universidade de Jena, Alemanha. O principal objetivo de sua presença no ITA é propiciar a troca de experiências, estender a aplicabilidade do código Vienna Ab Initio Simulation Package (VASP) a outros sistemas de interesse, bem como, proceder a validação do método LDA-1/2. O professor permanecerá no ITA até o dia 17 de setembro.

Nesse período, os interessados em entrar em contato com o Professor Doutor Furthmüller podem escrever para o e-mail gmsn@ita.br ou falar com a coordenadora do GMSN professora Lara Kühl Teles no telefone (12) 3947-5849. A atividade faz parte de um programa de pesquisa financiado pela FAPESP.

Sobre o Pesquisador

O professor Furthmüller é um dos pesquisadores mais ativos da atualidade com mais de 23 mil citações, e co-autor do código VASP, considerado “estado da arte” para cálculos de estrutura eletrônica, sendo utilizado por um grande número de pesquisadores de toda comunidade científica. Ele atua não somente na área de desenvolvimento de códigos computacionais, como também em estudos das propriedades básicas de materiais semicondutores e nanocompostos.

Outras informações sobre o VASP e LDA-1/2 no site www.ita.br/~gmsn


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB)

Brazilian Panel on Climate Change Meets at INPE

Hello reader!

It follows one communicates published ion the day (29/08) in the website of the National Institute for Space Research (INPE) nothing that the task force of Brazilian Panel Climate Change meets at INPE.

Duda Falcão

Task Force of Brazilian Panel
on Climate Change Meets at INPE

Monday, August 29, 2011

In Brazil, the main sources of greenhouse gases emissions result from forest clearing, commonly for land conversion to pasture or cropland. The theme "land use change" is going to be discussed this Wednesday (8/31) by experts of the Task Force on Greenhouse Gases Emissions Inventory Methodologies of Brazilian Panel on Climate Change (Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas - PBMC). The meeting is going to happen at the National Institute for Space Research (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE) in São José dos Campos (SP), Brazil.

The meeting purpose is to initiate discussions for the preparation of a report on alternative methods and emission factors for all sectors contributing to greenhouse gases emissions or removals of Brazilian Atmosphere. The report aims to include, for instance, biomass density in different forest ecosystems, also changes in soil carbon stocks. The document will also present emission scenarios, estimates based on modeling, as well as dynamics of land occupation and its implications in greenhouse gases emissions calculation.

"The issue of land use change is the first one to be addressed by the Task Force. As the group's works progresses, we will expand the discussion to include other sectors, particularly energy, industrial processes, agriculture and waste treatment," says Thelma Krug, one of the Task Force coordinators.

The Panel

Inspired by the UN's Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC), the Brazilian Panel will produce reports with complete update of the technical and scientific bases on the Brazilian situation in the face of climate change, its risks, effects and impacts on the country development.

In addition to the Task Force, the Panel has three Working Groups (WGs). In 2012, is going to be launched the First Brazilian National Assessment Report (Relatório de Avaliação Nacional - RAN1), which will address scientific issues on climate change (WG 1); adaptation, including impacts and vulnerabilities (WG 2); and mitigation (WG 3).

The Task Force is up to regularly review the scientific literature, aimed at improving the application of IPCC guidelines for the national inventories of anthropogenic emissions by sources and removals by greenhouse gases sinks not controlled by the Montreal Protocol, in terms of determination and selection of alternative methodologies and emission factors related to national circumstances.


Source: WebSite of the National Institute for Space Research (INPE)

Oportunidades para Emp. Brasileiras nas Obras do ESO

Olá leitor!

Segue abaixo um artigo postado hoje (24/08) no site da “Agência Espacial Brasileira (AEB)” destacando que existirão oportunidades para empresas brasileiras nas obras do maior Telescópio do planeta.

Duda Falcão

Oportunidades para Empresas
Brasileiras nas Obras do
Maior Telescópio do Planeta

Albert Bruch* e
José Monserrat Filho**
30/08/2011

Importantes empresas brasileiras de média e alta tecnologia participaram do “Dia da Indústria”, promovido por iniciativa da Organização Européia de Pesquisa Astronômica no Hemisfério Austral (ESO), com a qual o Brasil firmou acordo para tornar-se seu membro pleno, em 29 de dezembro de 2010.

A idéia era mostrar aos empresários brasileiros o que eles podem faturar nas obras que a ESO realizará nos Andes do Chile, o melhor lugar do planeta para se observar o Universo.

A ESO, na realidade, promoveu dois “Dia da Indústria”: um na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), na capital paulista, e outro no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP), em 23 e 24 de agosto, respectivamente.

Eis as empresas e entidades brasileiras presentes nos encontros industriais com a ESO: Acrux Solutions, Avionics Services, Construtora OAS, Construtora Queiroz Galvão, Critical Software, Equatorial Sistemas, Equitron Automação, Fibraforte, Flight Technologies, Gerdau, Incubaero, Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Konatus Soluções Inteligentes, Mectron, Opto Eletrônica, Orbital Engenharia e Rede Paulista de Inovação (TPI).

Foram ocasiões especiais para os empresários brasileiros conhecerem em detalhes as oportunidades e vantagens abertas a eles pela ESO na construção do maior equipamento astronômico do mundo, o Telescópio Extremamente Grande (Extremely Large Telescope – ELT), bem como em outros empreendimentos tecnológicos e industriais da organização.

Cinco membros da alta administração da ESO vieram ao Brasil especialmente para os dois encontros. Eles explicaram de forma minuciosa os procedimentos pelos quais as empresas brasileiras de base tecnológica poderão participar das licitações e aproveitar as múltiplas oportunidades oferecidas pela ESO na construção do ELT, na produção de instrumentação periférica para os telescópios, e em outras atividades tecnológicas.

A equipe do ESO também buscou se informar, o mais amplamente possível, inclusive por meio de visitas a empresas, sobre a capacidade disponível no Brasil para o fornecimento de bens e serviços de alto valor tecnológico às instalações no Chile.

Criada por 14 países europeus, a ESO é a maior organização mundial de pesquisa astronômica terrestre. O Brasil será seu 15º membro e o primeiro membro não europeu, se o Congresso Nacional ratificar o acordo assinado pelo Governo brasileiro em dezembro passado.

A ESO ergueu e opera grandes observatórios na região andina chilena e está prestes a iniciar a construção de novo e gigantesco telescópio, o ELT, com espelho de cerca de 40 metros de diâmetro. O ELT será de longe o maior instrumento do gênero jamais concebido. Mobilizará investimentos da ordem de um bilhão de Euros.

Confirmado o ingresso do Brasil na ESO, as empresas brasileiras poderão tomar parte ativa na construção do telescópio ELT e prestar outros serviços à organização, em pé de igualdade com as empresas dos demais países membros.

O evento e a visita de gerentes da ESO são parte das ações articuladas pela organização para integrar o Brasil, científica e tecnologicamente, na comunidade dos seus países membros.

O Gerente do Projeto ETL, Alistair McPerson, assim resumiu suas observações sobre as movimentadas reuniões em São Paulo e São José dos Campos: “Fiquei profundamente impressionado com o alcance da perícia e da experiência que encontrei nas empresas brasileiras que tive ocasião de visitar. Vejo ampla gama de oportunidades para a ESO colaborar com os contratados brasileiros e possibilidades estimulantes em áreas de alta tecnologia. Creio que as empresas que conheci estão bem preparadas para os desafios do futuro.”

Além de promover o avanço da ciência em geral, a entrada do Brasil na ESO tem enorme potencial para impulsionar o desenvolvimento tecnológico brasileiro, porque nos abre a oportunidade única de participar de grandes desafios tecnológicos inerentes ao desenvolvimento, à construção e à operação de complexos instrumentos, como o ELT. Isso é parte da motivação e da justificativa para o Brasil investir na ESO, certo de estar construindo um presente e um futuro em sintonia com as conquistas incomparáveis do século XXI.

Os contatos com dirigentes da ESO deixaram evidentes a vontade e a capacidade de muitas empresas brasileiras, determinadas a tirar o máximo proveito das novas oportunidades.

* Albert Bruch, ex-diretor do Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), co-organizador dos dois “Dia da Indústria” da ESO no Brasil;
** José Monserrat Filho é chefe da Assessoria de Cooperação Internacional da Agência Espacial Brasileira (AEB).


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)