sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Pesquisador do INPE é Reconhecido Como Um Dos Melhores Revisores da Elsevier

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (27/02) no site do “Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)” destacando que pesquisador do instituto é reconhecido como um dos melhores revisores da Elsevier, a maior editora de publicações científicas do mundo.

Duda Falcão

Pesquisador é Reconhecido Como Um
Dos Melhores Revisores da Elsevier

Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2014

José Humberto Andrade Sobral, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), foi reconhecido como um dos melhores revisores de 2013 pela Elsevier, a maior editora de publicações científicas do mundo.

Frequente revisor de diversos periódicos indexados, José Humberto Andrade Sobral atua desde 1967 na Divisão de Aeronomia (DAE) da Coordenação de Ciências Espaciais e Atmosféricas (CEA) do INPE, onde também é professor dos cursos de mestrado e doutorado em Geofísica Espacial.

Pesquisador nível 1A do CNPq e membro titular da Academia de Ciências do Estado de São Paulo, é consultor de várias organizações científicas no país e no exterior. Graduado em Engenharia Eletrônica pela Escola Nacional de Engenharia, mestre em Ciências Espaciais pelo INPE e doutor em Engenharia Elétrica pela Universidade de Cornell (Estados Unidos), atua na área de Geociências, com ênfase em Geofísica/Física Espacial, principalmente nos temas de aeronomia, ionosfera, bolhas ionosféricas e acoplamentos no sistema ionosfera-termosfera-magnetosfera-meio interplanetário.


Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Segundo Site Argentino o Lançamento do Foguete VEX-1 Falhou

Olá leitor!

Você está lembrado do foguete argentino VEX-1 (Veículo Experimental Nº 1) que estava se preparando para ser lançado?

Pois então, segundo o site argentino “Punta Indiowebhttp://puntaindioweb.com/el-cohete-despego-y-exploto.htm” o foguete que foi desenvolvido para testar tecnologias ligadas ao Sistema de Navegação do “Projeto TRONADOR II”, foi finalmente lançado na manhã do dia 26/02 da localidade de Punta Índio (aproximadamente uns 150 km de Buenos Aires) muito perto de Punta Piedras no Parque Costeira do Sul, uma reserva da biosfera que é reconhecida pela UNESCO.

Ainda segundo o site argentino, moradores locais informaram que o lançamento do foguete falhou, tendo o mesmo se elevado há apenas dois metros acima da plataforma de lançamento quando então explodiu.

Infelizmente até o momento não obtive confirmação sobre esta notícia, e fico no aguardo de que um de meus leitores argentinos possa confirmar esta informação.

Duda Falcão


Foguete argentino VEX-1.


Fonte: Formulado com informações do site http://puntaindioweb.com

Comentário: Aproveitamos para agradecer ao leitor paulista José Ildefonso por nos ter enviado esta notícia.

India Unveils Its Own Astronaut Crew Capsule, Plans Test Launch

Hello reader!

Here is a note published day (02/26) on the website "Space Travel" noting that India unveils its own Astronaut Crew Capsule, plans test launch.

Duda Falcão

SPACE TRAVEL

India Unveils Its Own Astronaut
Crew Capsule, Plans Test Launch

by Staff Writers
New Delhi (UPI) Feb 26, 2013

disclaimer: image is for illustration purposes only.
India, hoping to become the fourth nation to send humans into space, has unveiled a key element in the effort, an indigenously manufactured astronaut capsule.

The country's space agency has displayed a prototype of its first crew capsule module designed to carry two people into low Earth orbit, ScienceInsider reported.

The Indian Space Research Organization announced plans to send the test prototype into orbit with the first experimental flight of the country's latest rocket, the Geosynchronous Satellite Launch Vehicle Mark III.

Capable of putting 10 tons of payload into a low-Earth orbit, it could launch in May or June from Sriharikota spaceport on the coast of the Bay of Bengal, the agency said.

Currently only the United States, Russia and China have accomplished the feat of putting humans into Earth orbit.

The Indian space agency said it has decided on the test flight even though the government has yet to grant approval and funding for a human space-flight program.

"We thought it better to [go ahead to] gain some confidence in the design of our crew module," said Sundaram Ramakrishnan, director of ISRO's Vikram Sarabhai Space Center in Thiruvananthapuram, Kerala.

The capsule, manufactured by Hindustan Aeronautics Limited, is intended to carry two or three astronauts into a low-Earth orbit on a weeklong mission.


Source: WebSite Space Travel - http://www.space-travel.com

Comentário: Pois é leitor, mesmo a Agencia Espacial Indiana (ISRO) ainda não tendo obtido a aprovação e o financiamento do seu governo para o teste dessa cápsula tripulada, alguém realmente duvida que eles não atingirão este objetivo? Até então tudo divulgado pelos indianos foi cumprido e resultados excepcionais foram alcançados, como por exemplo, a Missão a Marte que está em curso. Bem diferente do Brasil, onde há décadas se propaga pela mídia objetivos muito mais modestos que servem apenas como propaganda de governos desastrosos sem qualquer compromisso com o que é divulgado, há não ser aqueles onde existem interesses políticos ou mesmo interesses não tão nobres.  Uma vergonha que atinge seu auge no atual governo dessa presidentA petista debiloide e sangue-suga que em nome de suas convicções e interesses, esta destruindo a chance de nos tornarmos uma nação de verdade com ações estúpidas, populistas e inconsequentes em todas as áreas de interesse do país, jogando por terra a melhor oportunidade que tivemos em toda nossa história. Enquanto isso nesse momento o povo brasileiro em sua 'ignorância útil' festeja com entusiasmo nas ruas os desmandos dessa presidentA inconsequente. Triste.

Antecipar Lançamento do CBERS-4 é Um Erro, Porque Torna Inevitável a Integração na China

Olá leitor!

Segue abaixo um artigo escrito pela diretoria do “Sindicato dos Servidores Públicos Federais na Área de C&T (SindCT)” e postado no site do “Jornal do SindCT” de Fevereiro de 2014, destacando que a propagada antecipação do lançamento  do Satélite CBERS-4 pelo Ministro Raupp é um erro.

Duda Falcão

Antecipar Lançamento do CBERS-4 é Um Erro,
Porque Torna Inevitável a Integração na China

Diretoria do SindCT
Jornal do SindCT
Fevereiro de 2014


Assim que se confirmou a falha no lançamento do satélite CBERS-3 devido a um mau funcionamento do último estágio do foguete chinês Longa Marcha 4B em dezembro de 2013, começaram a surgir propostas no sentido de se antecipar a integração (montagem) e lançamento do satélite CBERS-4, como forma de se amenizar o prejuízo causado pela perda do CBERS-3.

Originalmente o CBERS-4 estava previsto para ser lançado no final de 2015, decisão esta que já havia sido ratificada pela Comissão Sino-Brasileira de Alto-Nível (COSBAN), que coordena as atividades no âmbito da cooperação espacial entre Brasil e China, na sua última reunião ocorrida em novembro de 2013, portanto, poucos dias antes da tentativa frustrada de lançamento do CBERS-3 (vide matéria publicada no Jornal do SindCT 27, http://goo.gl/BpmvBt).

Aparentemente, a ideia de se antecipar o lançamento do CBERS-4 partiu do próprio ministro Raupp (MCTI), que divulgou declarações à imprensa neste sentido enquanto ainda se encontrava na China, acompanhando o lançamento do CBERS-3. O argumento central desta proposta baseia-se no fato de que o Brasil já se encontra há vários anos sem a cobertura de imagens de seu território, desde que o satélite CBERS-2B deixou de operar em 2009.

Assim, de acordo com o ministro, caso o cronograma do CBERS-4 fosse mantido, o país ainda teria de esperar mais dois anos até que a geração das imagens fosse retomada. Uma vez tomada a decisão de se antecipar em um ano o lançamento do CBERS-4, a consequência natural seria dar início imediatamente à sua integração na China, por várias razões, dentre as quais o fato de boa parte da estrutura do satélite já se encontrar naquele país, e o fato de a China possuir uma quantidade muito maior de técnicos bem treinados que poderiam ser alocados nestas atividades de integração.

Se a integração fosse feita no Brasil, estima- se que seriam gastos cerca de três meses só com atividades de importação destas partes para o Brasil (e posterior exportação para a China na época do lançamento). Além disso, é sabido que o INPE enfrenta sérios problemas relacionados à escassez de recursos humanos, fato que se verifica também no Laboratório de Integração e Testes (LIT-INPE), onde os satélites são montados e testados.

Alto Preço

Portanto, o questionamento que se deve fazer em relação ao CBERS-4 é se a antecipação de seu lançamento é ou não pertinente.

Neste aspecto, a decisão de vir a integrá-lo na China ou no Brasil é uma mera decorrência desta decisão preliminar. Rigorosamente, não há argumentos convincentes que justifiquem a antecipação do lançamento do CBERS-4.

Do ponto de vista do acesso a imagens do seu território, o Brasil já vem adquirindo imagens feitas por satélites estrangeiros desde 2009. Continuar importando estas imagens por mais um ou dois anos não irá fazer grande diferença. Além disso, o preço a ser pago com a antecipação do lançamento deste novo satélite será muito alto para o Brasil, por duas razões.

Em primeiro lugar, porque não haverá tempo hábil para se aprofundar na solução de todos os problemas técnicos enfrentados quando da integração do CBERS-3, em particular relacionados à falha de componentes eletrônicos importados dos EUA. Em segundo lugar, porque teremos de abrir mão de integrar o satélite no Brasil, perdendo uma oportunidade fundamental para se qualificar novos profissionais nas atividades de integração, e principalmente para justificar os investimentos de centenas de milhões de dólares feitos pelo governo no LIT, onde foram integrados apenas dois satélites para colocação em órbita nos últimos 12 anos.


Fonte: Jornal do SindCT - Edição 28ª - Fevereiro de 2014

Comentário: Primeiramente devo dizer que não acredito que esse satélite venha ser lançado em 2014 por diversas razões, e ai incluídas razões da parte chinesa. Para mim, toda essa propagada antecipação é motivada por interesses de cunho político em ano eleitoral. Mas vamos lá. Digamos que eu esteja completamente errado (cobrem de mim no final do ano e cobrem mesmo, pois diferentemente de certas pessoas eu não fujo da raia) e o satélite venha ser mesmo lançado em 2014. Como o leitor pode notar nas colocações feitas pela diretoria do SindCT, não existe razão que justifique esta propagada antecipação sendo a mesma danosa para os interesses brasileiros. Confesso leitor que estou tremendamente decepcionado com o Ministro Marco Antônio Raupp, um profissional que sempre admirei e que teve todo o meu apoio quando assumiu o cargo de presidente da AEB e posteriormente o cargo de ministro do MCTI, mas que de uns tempos para cá parece estar deslumbrado com os bastidores de Brasília (mesmo mal que parece atingir o Comandante Juniti Saito) e com o cargo que ocupa, tornando-se infelizmente uma marionete nas mãos dessa trupe de energúmenos sob o comando dessa presidentA petista irresponsável e debiloide. Lamentável!

NASA/Saylor Foundation Lançam Curso Gratuito Online de Eng. de Sistemas Com Foco em Eng. Aeroespacial

Olá leitor!

A NASA e a Saylor Foundation estão patrocinando um Curso Gratuito Online de Engenharia de Sistemas para qualquer pessoa de qualquer país do mundo com foco em Engenharia Aeroespacial.

O curso que ainda esta aceitando inscrições parece ser um curso bem básico e será realizado em inglês estando previsto para começar no dia 03/03.

Para quem se interessar o link para inscrição é  http://www.saylor.org/sse-enrollment-page/

E o link referência do curso é http://www.nasa.gov/press/goddard/2014/february/nasa-saylor-foundation-collaborate-to-offer-new-free-space-systems-engineering/#.Uw__A4VnZX4

Aproveitamos para agradecer ao leitor Rodrigo Nascimento Hernandez pelo envio dessa notícia.

Duda Falcão


Fonte NASA e Saylor Foundation

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Estudantes de Roraima Conversam Com Astronauta da ISS

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (26/02) no site da “Agência Espacial Brasileira (AEB)”, destacando que estudantes de Roraima conversaram com astronauta da Estação Espacial Internacional (ISS).

Duda Falcão

Estudantes de Roraima Conversam
Com Astronauta da ISS

Coordenação de Comunicação Social (CCS-AEB)

Professor Paulo Leite (E) testa com aluno o contato com a ISS.

Brasília, 27 de fevereiro de 2014  Oito estudantes do Curso Técnico de Informática do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima (IFRR), Campus de Boa Vista, e seis alunos do Ensino Médio da Escola Estadual Gonçalves Dias conversaram em tempo real com o astronauta norte-americano Michael Hopkins abordo da Estação Espacial Internacional (ISS,.na sigla em inglês).

O contato, por cerca de dez minutos, ocorreu há duas semanas quando o laboratório espacial passou sobre a Região Norte a 420 quilômetros de altura. A comunicação realizada via rádio foi feita por meio do projeto Radioamador na Estação Espacial Internacional (ARISS), desenvolvido e gerenciado pela agência espacial norte-americana, NASA.

A proposta de inscrever a escola estadual no projeto foi do radioamador Paulo Costa Leite, que também é orientador educacional da instituição. Ele conta que direção abraçou a ideia envolvendo as disciplinas de Física e Geografia. Em fevereiro de 2012 o projeto foi enviado à NASA, que em setembro de 2013 comunicou que ele fora aceito.

Incentivo – A montagem de uma estação de radioamador na Gonçalves Dias teve a participação dos estudantes da IFRR, que se integraram ao projeto. “Depois desta experiência eu e vários de meus colegas passamos a ter um interesse maior pela área espacial”, comenta Danilo Lima, de 17 anos, um dos alunos do Instituto.

Segundo ele, agora a intenção dos estudantes é se organizarem para planejar outras atividades envolvendo a área espacial como, por exemplo, participação em eventos científicos e educacionais e programar visitas a instituições nacionais que desenvolvem atividades no segmento aeroespacial.

Os equipamentos para montar a estação de rádio na ISS foram levados ao laboratório pela missão STS-106. O projeto ARISS, é uma iniciativa educacional internacional com a intenção de estimular estudantes a seguir carreira nas áreas de ciência e tecnologia, e está aberto a todos os países mediante inscrição de uma proposta de projeto de pesquisa.

O Brasil já participou por cinco vezes do ARISS. Roraima é o segundo estado que sedia a iniciativa, registrada anteriormente apenas no Rio de Janeiro.

Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Gostaríamos de agradecer publicamente ao nosso leitor radioamador Paulo PV8DX pelo envio do link do vídeo.

MCTI Envia Servidor do INPE a China Para Realizar Testes Elétricos no Satélite CBERS-4

Olá leitor!

O Diário Oficial da União (DOU) de ontem (26/02) publicou um despacho do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), autorizando um servidore do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) a viajar para China e participar dos testes elétricos do modelo de voo do satélite sino-brasileiro CBERS-4. Abaixo segue o despacho como publicado no DOU.

Duda Falcão

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

GABINETE DO MINISTRO

DESPACHO DO MINISTRO
Em 24 de fevereiro de 2014

Afastamentos do país autorizados na forma do Decreto nº 1.387, de 07 de fevereiro de 1995:

ADALBERTO PACÍFICO COMIRAN, Tecnologista Sênior III do INPE, participar dos testes elétricos do modelo de voo do satélite sino-brasileiro CBERS-4 como responsável pelos subsistemas de radiofrequência de responsabilidade brasileira, em Pequim/China, no período de 23.02 a 23.04.2014, com ônus para o INPE. Art. 1º, inciso V.

Min. LUIZ ANTONIO RODRIGUES ELIAS
Substituto


Fonte: Diário Oficial da União (DOU) - Seção 2 - pág. 04 - 26/02/2014

INPE Recebe Secretários de São José dos Campos

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (27/02) no site do “Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)” destacando que o instituto recebe secretários de São José dos Campos.

Duda Falcão

INPE Recebe Secretários
de São José dos Campos

Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2014

Secretários municipais de São José dos Campos puderam conhecer melhor as atividades e produtos desenvolvidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). A previsão do tempo, o monitoramento de queimadas e da qualidade do ar, bem como a formação de recursos humanos altamente qualificados, entre outros, foram temas das reuniões entre os representantes da administração municipal, dirigentes do instituto e pesquisadores.

O diretor do INPE, Leonel Perondi, recebeu o secretário de Serviços Municipais, Antônio Carlos Wolff Nadolny, a secretária de Meio Ambiente, Andréa Francomano Bevilacqua, o secretário de Transportes, Wagner Ocimar Balieiro, os diretores da Secretaria de Obras, Mauro Manoel Pinto e Rodolpho de Souza Neto, a diretora do Instituto de Pesquisa, Administração e Planejamento, Lívia Tomas, e o agente da Defesa Civil Orlando Santos, da Secretaria de Defesa do Cidadão.

Pelo INPE, participaram Oswaldo Duarte Miranda, coordenador-geral de Ciências Espaciais Atmosféricas (CEA), José Antonio Aravéquia, coordenador interino do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), Geilson Loureiro, chefe do Laboratório de Integração e Testes (LIT), Pawel Rozenfeld, chefe do Centro de Rastreio e Controle de Satélites (CRC), Cristina Forti, pesquisadora do Centro de Ciência do Sistema Terrestre (CST), Lúbia Vinhas e Laércio Massaru Namikawa, pesquisadores da Coordenação de Observação da Terra (OBT), Edson Del Bosco, pesquisador da Coordenação de Laboratórios Associados (CTE), e Fabiano Morelli, pesquisador do Grupo de Monitoramento de Queimadas.

Ações

Os pesquisadores mostraram como geotecnologias e dados espaciais podem ser usados na gestão municipal em diversas áreas, como meio ambiente, desenvolvimento urbano e monitoramento de desastres.

Foram detalhadas as atividades de monitoramento de tempo, clima e qualidade do ar, e apresentado produto para monitoramento de queimadas desenvolvido pelo INPE para a Secretaria do Meio Ambiente de São José dos Campos em 2013.

A equipe do INPE apresentou ainda iniciativas como os minicursos para professores nas áreas de ciências espaciais e de clima espacial, as palestras de divulgação científica e as vistas ao Miniobservatório Astronômico que atendem especialmente estudantes de escolas públicas.

A formação de recursos humanos por meio dos programas de bolsas de pós-graduação, de capacitação e desenvolvimento tecnológico foi destacada, assim como a oportunidade de trabalho no instituto, que se traduz em empregos com alta qualificação para a cidade. Além disso, o INPE contrata junto à indústria, em muitos casos de empresas localizadas em São José dos Campos, produtos espaciais com alto valor agregado, colaborando para o crescimento e especialização deste setor.


Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Nova Atualização das Campanhas do Blog

Olá leitor!

Hoje é quinta-feira e sendo assim é dia de atualizar você sobre as nossas campanhas. Segue abaixo a atualização dessa semana.

Em relação à campanha da “Petição Online da ACS - Mudanças Já ou o Destrato do Acordo”, essa semana tivemos outro diminuto avanço, pulando de 696 para 697 assinaturas, ou seja, apenas 1 assinatura no período. O resultado foi extremamente pequeno e espero que nessa próxima semana possamos continuar avançando e chegar pelo menos a 1.000 assinaturas o mais breve possível, e assim fazer valer a nossa luta contra esse acordo desastroso que gerou a Alcântara Cyclone Space (ACS) e que vem literalmente boicotando o verdadeiro Programa Espacial Brasileiro. Vamos lá gente, vários profissionais do PEB já assinaram essa petição e continuamos contando com o seu apoio.

Já em relação à “Petição Online da Missão VLM-1/ITASAT-1”, à mesma teve esta semana outro pequeno avanço, pulando de 705 para 706 assinaturas, ou seja, apenas 1 assinatura no período, e como na petição da ACS, continuamos com um número bem aquém do que necessitamos para pressionar o Governo e o Congresso Nacional nesse que talvez seja o melhor momento para isso. Vale dizer que para essa petição específica o tempo está se esgotando e em muito breve perderá a sua possibilidade de viabilização. Vamos lá gente, contamos com a sua ajuda assinando e divulgando ambas petições.

Já quanto à “Campanha para Regulamentação das Atividades de Grupos Amadores”, continuamos essa semana com os mesmos nove grupos inscritos desde o lançamento da campanha, ou seja, os grupos Auriflama FoguetesCarl SaganCEFABCEFECInfinitude FoguetismoNTAITA Rocket DesignUFABC Rocket Design e PEUE (Pesquisas Espaciais Universo Expansivo). Vamos lá gente, cadê os grupos amadores desse país, vocês não querem se organizar?

Agora leitor, em relação á “Campanha de Manutenção do Blog”, desde a última quinta-feira apenas 11 colaboradores (sendo um deles novo) já realizaram as suas contribuições do mês de fevereiro, no vakinha.com.br. Foram Eles:

1 - Carlos Cássio Oliveira (presidente do CEFAB)
2 - Daniël Konrad Link (novo colaborador)
3 - Diego LvM
4 - Elison Gustavo (Idealizador da Campanha)
5 - Fabrício de Novaes Kucinskis (INPE)
6 - Hugo Ataides
7 - José Félix Santana, Prof. (Presidente do CEFEC)
8 - Jaime Gustavo Veras Alves
9 - Leandro Carvalho Silva
10 - Leo Nivaldo Sandoli
11 - Vando Médici Faria (Grupo Auriflama Foguetes)

Aproveito para agradecer publicamente ao leitor Daniël Konrad Link pela sua primeira e significante contribuição a nossa campanha.

Bom é isso ai, e vamos continuar aguardando que a partir dessa semana haja uma mudança de postura de nossos leitores com as nossas campanhas, para que assim possamos efetivamente continuar contribuindo com o Programa Espacial Brasileiro, e quem sabe, com a permanência do blog online ou a criação do Portal Espacial que é hoje o nosso principal objetivo.

Duda Falcão

CEMADEN Distribui Pluviômetros Para Seis Estados do Nordeste

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (27/02) no site do “Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI)” destacando que o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais  (CEMADEN) distribuirá pluviômetros para seis estados do Nordeste.

Duda Falcão

CEMADEN Distribui Pluviômetros 
Para Seis Estados do Nordeste

Rodrigo PdGuerra
Ascom do MCTI
27/02/2014 - 10:50

Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pernambuco e Piauí recebem, em março, pluviômetros semiautomáticos do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (CEMADEN/MCTI). Os equipamentos saíram do interior paulista nesta semana e compõem um lote de 107 unidades destinadas a todo o país.

O CEMADEN distribuirá aparelhos aos municípios de Capela (uma unidade), em Alagoas; Itagimirim (1), na Bahia; Reriutaba (3), no Ceará; São José de Ribamar (1), no Maranhão; Jaboatão dos Guararapes (6) e Juazeiro do Norte (1), em Pernambuco; e Buriti dos Lopes (1) e Santa Cruz dos Milagres (3), no Piauí.

Nos seis estados, o projeto já instalou pluviômetros semiautomáticos em Maceió (10), Marechal Deodoro (1) e Quebrangulo (2), em Alagoas; Itororó (1), Nova Viçosa (2) e Vitória da Conquista (3), na Bahia; Pedreiras (1) e São Luís (3), no Maranhão; Caucaia (2) e Crato (1), no Ceará; Barreiros (3), Escada (3), Recife (6), Palmares (1), Vitória de Santo Antão (1) e Cortês (1), em Pernambuco; e Campo Maior (2), no Piauí.

A rodada prevê entrega de equipamentos nas outras quatro regiões brasileiras: Centro-Oeste (Mato Grosso), Norte (Acre e Pará), Sudeste (Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo) e Sul (Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina).

Os instrumentos medem a quantidade de chuvas e são instalados em áreas de risco, sujeitas a inundações, enxurradas ou deslizamentos de terra. Até o início da semana, o CEMADEN havia entregado 807 pluviômetros semiautomáticos pelo país – 461 deles já instalados. Municípios interessados ainda podem se candidatar para receber os equipamentos, ao preencher cadastro pelo site do projeto.

Engajamento

A iniciativa integra o projeto Pluviômetros nas Comunidades, anunciado em dezembro de 2012, quando o CEMADEN contratou a aquisição de 1.100 pluviômetros semiautomáticos, a serem distribuídos pelo Brasil afora.

Os equipamentos são chamados de semiautomáticos porque devem ser operados por grupos locais treinados por equipes do CEMADEN e da Defesa Civil. Assim, agentes comunitários indicados pela prefeitura recebem orientações de como proceder em situações de alerta.

“As comunidades precisam estar preparadas para conviver com o risco de desastres naturais”, reforça a pesquisadora do CEMADEN Silvia Saito. “O pluviômetro pode ser um importante aliado para que os moradores em áreas de risco possam monitorar as chuvas e aumentar sua capacidade de resposta.”

O projeto se insere no Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais, lançado pela presidenta Dilma Rousseff em 2012, e é conduzido em parceria entre o CEMADEN e o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres do Ministério da Integração Nacional (CENAD/MI).


Fonte: Site do Ministério da Ciência,Tecnologia e Inovação (MCTI)

Greve e Negociação Garantem Concurso em 2014 Para 71 Vagas no CPTEC

Olá leitor!

Segue abaixo um artigo postado no site do “Jornal do SindCT” de Fevereiro de 2014, jornal esse editado pelo “Sindicato dos Servidores Públicos Federais na Área de C&T (SindCT)” dando destaque ao imbróglio do Concurso do CPTEC.

Duda Falcão

Nosso Trabalho 2

Greve e Negociação Garantem Concurso
em 2014 Para 71 Vagas no CPTEC

Shirley Marciano
Jornal do SindCT
Fevereiro de 2014

A direção do INPE anunciou que seria confirmada até 28 de fevereiro a realização de concurso público para preenchimento de vagas de servidor público, em substituição aos servidores temporários contratados, em 2010, num processo seletivo simplificado marcado por irregularidades, conforme sentença expedida pela Justiça Federal, que acolheu ação do Ministério Público Federal (MPF) e declarou nulas 111 das 126 contratações temporárias em questão. O novo concurso previsto para 2014 é resultado de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado em 27 de novembro pelo MPF, pela Advocacia Geral da União em São Paulo e pelo INPE.

O TAC objetiva regularizar as ilegalidades apontadas na sentença judicial e estende até fevereiro de 2015 a extinção completa do quadro de temporários, buscando, assim, evitar que se prejudique a continuidade dos importantes serviços prestados pelo Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC-INPE).

No dia 27 de agosto de 2013, o INPE foi sentenciado pela Justiça Federal a anular as contratações temporárias em 45 dias. A ação do MPF também menciona um possível favorecimento à Fundação de Ciências Aplicadas e Tecnologias Espaciais (FUNCATE), por constar em edital “experiência profissional específica”, critério que privilegia os funcionários dessa entidade privada.

Surgiu um impasse, pois a demissão dos temporários comprometeria serviços essenciais: previsão do tempo, monitoramento das queimadas e desmatamentos, alertas de desastres naturais e a manutenção do supercomputador Tupã. Diante dessa situação, o SindCT, mesmo não sendo representante legal desses trabalhadores, tomou posição contra as demissões e foi à porta de CPTEC conversar com os terceirizados, para juntos buscarem uma solução.

“O objetivo era primar pelo diálogo e, sobretudo, assegurar que não fosse colocado em risco este órgão tão importante para o país. O bom desfecho ocorreu pela união de todos os esforços”, esclarece Ivanil Elisiário, presidente do SindCT.

Assim, no dia 4 de outubro, os funcionários deliberaram por uma greve por tempo indeterminado, com o objetivo de sensibilizar a direção do INPE a encontrar um meio de resolver a questão.

Em reunião com o diretor do instituto, Leonel Perondi, ele se comprometeu a buscar soluções nos ministérios de Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI) e Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), e os funcionários decidiram suspender a paralisação, em 7 de outubro. Dessa forma, em 12 de outubro, a Justiça Federal prorrogou o prazo, atendendo a uma solicitação do MPOG, por meio de um TAC.

Foi definido o seguinte cronograma: “publicação da autorização de concurso público de provas e títulos até 28/2/2014, publicação do edital até 30/4/2014, nomeação dos candidatos até 15/2/2015, os quais substituirão todos os agentes temporários irregularmente contratados”.

Perondi explica que desde 2012, o INPE vinha promovendo a regularização do quadro de servidores temporários, antecipando- se à publicação da sentença referente à ação do MPF. No concurso público realizado em 2012, 40 vagas foram reservadas para a substituição integral de todo o quadro de servidores temporários de nível médio. Adicionalmente, foram extintos 15 contratos temporários, de modo que, ao final de 2012, 55 dos 126 contratos temporários já contavam com adequação legal, seja por substituição por servidores concursados, seja por extinção de contratos.

Em novembro de 2012, foi encaminhado aviso ministerial do MCTI ao MPOG (Aviso 225/ MCTI), solicitando vagas para a substituição do restante do quadro de temporários por servidores concursados. O concurso realizado em 2012 vai preencher 40 das 111 vagas questionadas. Assim, restarão 71 para o concurso de 2014, dos quais 52 para atuar na área de previsão do tempo. “Com diálogo e negociação foi alcançado o objetivo final, que é garantir os importantes serviços prestados pelo CPTEC-INPE, mas dentro das conformidades da Justiça”, ressalta Perondi.

“Estou aguardando que os prazos presentes no TAC sejam cumpridos, ou seja, que até janeiro de 2015 o concurso tenha sido realizado, e os aprovados estejam nomeados e empossados. É essa a minha expectativa. No momento estou estudando para prestar o concurso”, comenta Giovanni Dolif, meteorologista do CPTEC.


Fonte: Jornal do SindCT - Edição 28ª - Fevereiro de 2014

Fortalecer as Instituições Públicas

Olá leitor!

Segue abaixo o editorial postado no site do “Jornal do SindCT” de Fevereiro de 2014, jornal esse editado pelo “Sindicato dos Servidores Públicos Federais na Área de C&T (SindCT)”.

Duda Falcão

Editorial

Fortalecer as Instituições Públicas

Jornal do SindCT
Fevereiro de 2014


Já surgem críticas à escolha do caça sueco Gripen NG pelo Brasil. É natural que se expressem assim os derrotados, que afirmam que o avião nem mesmo é ainda uma realidade, mas uma promessa em desenvolvimento. O problema é que as outras propostas não traziam oportunidades de transferência tecnológica.

Há os que inacreditavelmente se alegraram com a falha do Foguete Longa Marcha, no lançamento do CBERS-3, duro golpe na sofrida marcha rumo ao desenvolvimento espacial brasileiro. Como consequência, não consolidamos importantes conquistas, como o desenvolvimento da Câmara Mux, especial menção, mas não única participação brasileira.

A decisão de adiantar o lançamento do CBERS-4 causa irreparável perda da oportunidade de integração do satélite no INPE, com prejuízos ao treinamento de nossos técnicos. Há também os que torcem para que falhe o lançamento programado para este ano do Sisnav, versão do Veículo Lançador de Satélites (VLS), que busca certificar o Sistema de Navegação do foguete, última fronteira tecnológica para um lançamento do veículo completo.

Não queremos suscitar uma onda paranoica, mas é fora de dúvida que se promove uma sabotagem ideológica que busca convencer a sociedade da existência de uma suposta incapacidade do país de superar desafios por meio da dedicação, trabalho e criatividade do seu povo. Supridor de commodities e bens primários, o Brasil nunca deixaria de trocá-los por “espelhos pós-modernos”, bens sofisticados, como sempre fez, desde os mocambos entre “descobridor e descoberto”.

É importante e essencial explorarmos os dons da natureza, da nossa extensão territorial e do clima, mas também é certo que devemos nos desenvolver tecnologicamente. O fato de pertencermos a uma elite de técnicos especializados deveria ser apenas motivo de orgulho e motivação dos mais puros ideais de progresso. Entretanto, vivemos um apagão nos institutos públicos de pesquisa, como tantos no Brasil, pela falta de investimentos de vontade política, de coragem.

Consequentemente, vivemos um clima de baixa autoestima e de expectativa da proximidade da aposentadoria. PEC 290: um crime Enquanto isto, neste exato momento, na Câmara dos Deputados, se apresenta o início do fim da Carreira de C&T e o desmanche da infraestrutura de pesquisa no Brasil. Está em tramitação a PEC 290, que abre a possibilidade de cessão de pessoal, equipamentos, materiais e instalações públicas para a iniciativa privada: um crime, tudo em nome de promover a atividade inovadora no país.

Ora, a criação que deu origem à Embraer — o projeto do avião Bandeirante, que voou pela primeira vez em outubro de 1968 — surgiu num instituto público de pesquisas, numa época em que nem se falava em inovação. Para inovar é preciso investir em infraestrutura, em capacitação, gestão de conhecimentos, suscitar projetos e manter a máquina funcionando.

Estratégias de criação de um parque tecnológico avançado passam pela valorização da atividade científica institucional. O que a PEC 290 propõe é casuísmo de prestígio individual, não propicia a recuperação da estrutura laboratorial e nem a renovação dos quadros de pessoal, ao contrário: subtrai recursos dos institutos já tão carentes e esquecidos.

Ainda hoje, não obstante o descaso, nossos institutos produzem ilhas de prosperidade onde se desenvolvem artefatos de elevadíssimo nível tecnológico, na maior parte das vezes em cooperação com a indústria, em processos de fomento que de fato promovem ambientes férteis à inovação, desejo de todos.

Precisamos sim de um arcabouço jurídico que facilite a relação público-privada, mas não da forma como está proposta. Admitimos a necessidade de repensar a estrutura dos institutos e as leis que regem a gestão pública, com adequações que facilitem a atividade técnico-científica no Brasil. Entretanto, é preciso resguardar os bens das instituições públicas e fortalecê-las, sob pena de que esta aventura que desponta não se sustente, pois sem recomposição e sem uma política de renovação de pessoal os institutos logo entrarão em colapso e também tudo o que pretende a PEC 290.


Fonte: Jornal do SindCT - Edição 28ª - Fevereiro de 2014

Comentário: Concordo em grande parte com as colocações do autor deste editorial do Jornal do SindCT (quando o autor diz: “Entretanto, vivemos um apagão nos institutos públicos de pesquisa, como tantos no Brasil, pela falta de investimentos, de vontade política e de coragem”, eu trocaria, por exemplo a palavra coragem por falta de vergonha na cara), mas em minha opinião para que tudo funcione como gostaríamos e não só no PEB, a Sociedade Brasileira (e aí incluída a classe política) terá de passar por uma mudança cultural que infelizmente ainda está muito longe de acontecer.