sábado, 30 de setembro de 2017

El SAOCOM 1A Con los Ojos Preparados

Hola lector!

Sigue abajo una nota puesta en español día (29/09) en el website de la Comisión Nacional de Actividades Espaciales (CONAE) de Argentina, destacando de que el Satélite Argentino SAOCOM 1A de observación de la Tierra ya se encuentra con sus ojos preparados.

Duda Falcão

DESTACADO

El SAOCOM 1A Con los Ojos Preparados

Prensa  CONAE
29 de septiembre de 2017

El nuevo satélite argentino SAOCOM 1A de observación de la Tierra con radar de microondas de la Comisión Nacional de Actividades Espaciales (CONAE), está en los tramos finales de la fase de construcción, ya casi terminado. En el Laboratorio de Integración y Ensayos (LIE) del Centro Espacial Teófilo Tabanera de la CONAE en Córdoba, se realizó la alineación mecánica de los paneles que componen la antena radar de tipo SAR (por sus siglas en inglés Syntetic Aperture Radar: Radar de Apertura Sintética). Esta es la parte sensora del instrumento de observación del SAOCOM 1A, los ojos del satélite.


La enorme antena radar de 35 metros cuadrados y 1.500 kilogramos de peso, está compuesta por 7 paneles de 1,5 x 3,5 metros cada uno. Estos paneles contienen 20 módulos radiantes (las franjas de rectángulos blancos que se ven en la foto) con 8 elementos radiantes cada uno (los círculos dentro del rectángulo). Todo fue montado en el LIE sobre la estructura plegable fabricada por la Comisión Nacional de Energía Atómica (CNEA).

Electrónica y Cableado Para los Ojos del SAOCOM


Las fotos muestran la parte posterior de la antena SAR del satélite SAOCOM 1A totalmente desplegada, con el cableado y los componentes electrónicos para el funcionamiento del radar. La antena está montada sobre el dispositivo simulador de 0 G (cero gravedad), compuesto por patines de aire que sostiene la antena para las operaciones de despliegue. En color gris se ve la estructura de montaje denominada “dummy de plataforma”, con las características geométricas de la plataforma de servicios (el cuerpo del satélite), y se utiliza para sujetar la antena SAR durante las operaciones de integración.

Mientras en la CONAE en Córdoba se completa la integración y ensayos de la antena SAR, los ojos del SAOCOM 1A, en Bariloche alistan el cuerpo del satélite. En la sede de la empresa INVAP S.E., contratista principal de la Misión SAOCOM, ya se terminó la construcción de la plataforma de servicios. Y en Buenos Aires, la Comisión Nacional de Energía Atómica (CNEA) finalizó los paneles solares. En breve, la antena SAR y los paneles solares serán integrados al cuerpo del nuevo satélite argentino de observación de la Tierra. Así el SAOCOM 1A, construido en conjunto por la CONAE con empresas y organismos nacionales, se acerca a su configuración final de vuelo.



Fuente: Website de la Comisión Nacional de Actividades Espaciales (CONAE)

Comentario en Español: Pues es lector, cuando se tiene compromiso el resultado es éste, y en Argentina los gobiernos de ese país platino han tenido por lo menos en los últimos 15 años el compromiso necesario para hacer las cosas suceder. Es extraordinario el crecimiento del sector Espacial Argentino en ese período, pero es sólo fruto de compromiso, aquella historia de que quien planta, cosecha. Si usted prepara la Tierra adecuadamente para plantar algo y cuida para que ella dé vuelta, los resultados aparecen, y eso es lo que el pueblo Argentino viene haciendo en este período, o sea, invirtiendo con seriedad en el futuro de su sociedad. En Brasil ... Aprovechamos para agradecer a nuestro lector argentino Martín Marteletti por el envío de esta noticia.

Comentário em Português: Pois é leitor, quando se tem compromisso o resultado é este, e na Argentina os governos desse país platino tem tido pelo menos nos últimos 15 anos o compromisso necessário para fazer as coisas acontecerem. É extraordinário o crescimento do setor Espacial Argentino nesse período, mas é só fruto de compromisso, aquela história de que quem planta, colhe. Se você prepara a Terra adequadamente para plantar algo e cuida para que ela dê retorno, os resultados aparecem, e é isto que o povo Argentino vem fazendo neste período, ou seja, investindo com seriedade no futuro de sua sociedade. Já no Brasil.... Aproveitamos para agradecer ao nosso leitor argentino Martín Marteletti pelo envio desta notícia.

Mackenzie Abre Inscrições Para Pós em Ciências e Aplicações Geoespaciais

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada dia (29/09) no site da Agência FAPESP, destacando que a Universidade Presbiteriana Mackenzie abre inscrições para Pós em Ciências e Aplicações Geoespaciais.

Duda Falcão

Notícias

Mackenzie Abre Inscrições Para Pós
em Ciências e Aplicações Geoespaciais

Agencia FAPESP
29 de setembro de 2017

(Image: Mackenzie)
Candidatos podem escolher entre sete áreas de pesquisa.
Prazo de inscrição vai até o dia 16 de outubro.

O programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências e Aplicações Geoespaciais da Universidade Presbiteriana Mackenzie abriu inscrições para o processo seletivo de mestrado e doutorado. O prazo encerra no dia 16 de outubro.

O programa oferece as seguintes áreas de pesquisa: Física Solar, Relações Solares-Terrestres, Atividade estelar e exoplanetas, Cosmologia e Quasares, Ionosfera terrestre, Geodésia Espacial e Radioastronomia e instrumentação.

O processo seletivo inclui prova de conhecimento específico e prova de proficiência em língua estrangeira: inglês, para os candidatos ao mestrado e inglês, espanhol e/ou francês, para os candidatos ao doutorado.



Fonte: Site da Agência FAPESP

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

INPE Integra Time Vencedor da "Star Trackers: First Contact",Organizada Pela Agência Espacial Europeia

Caro leitor!

Segue abaixo leitor uma nota postada hoje (28/09) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando o instituto integrou time vencedor da "Star Trackers: First Contact", organizada pela Agência Espacial Europeia.

Duda Falcão

INPE Integra Time Vencedor da
"Star Trackers: First Contact",Organizada
Pela Agência Espacial Europeia

Quinta-feira, 28 de Setembro de 2017

Márcio Afonso Arimura Fialho, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), é o brasileiro que está entre os quatro membros da equipe vencedora da competição internacional “Star Trackers: First Contact”, promovida pelo Advanced Concepts Team da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês). O desafio envolveu pesquisadores do mundo todo, durante um ano, em busca do algoritmo mais rápido e robusto para a identificação de estrelas.

“Este tipo de algoritmo é crucial para o bom desempenho de sensores de estrelas, que estão dentre os sensores de atitude mais precisos e complexos utilizados em satélites artificiais. No espaço, as referências mais precisas para determinar a orientação espacial (ou atitude) dos satélites são as estrelas. É importante conhecer e controlar bem a atitude dos satélites de forma que os instrumentos que eles carregam sejam apontados nas direções corretas”, explica Fialho.

Batizado de "Super k-ID”, o algoritmo que conquistou a vitória na competição foi desenvolvido pelo brasileiro junto com David Arnas, do Centro Universitário de la Defensa (CUD), da Espanha, e Christian Bruccoleri e Daniele Mortari, da Universidade Texas A&M (TAMU), dos Estados Unidos.

O tecnologista do INPE liderou os esforços para codificação, depuração, teste e aprimoramento do Super k-ID. “Há no INPE o projeto de desenvolvimento de um sensor de estrelas”, destaca Fialho.

Um sensor de estrelas é um equipamento usado em satélites para determinar sua orientação no espaço. Em resumo, consiste de uma câmera computadorizada que compara as estrelas observadas com uma lista de estrelas catalogadas, armazenadas na sua memória interna. Desta comparação, é capaz de calcular a orientação espacial (ou atitude) do satélite.

O software de um sensor deve ser muito rápido e confiável para discriminar as estrelas reais de outros objetos que podem estar presentes na imagem, como planetas, reflexos de detritos ou outros satélites, por exemplo. Daí a relevância da competição da ESA para a criação de algoritmos destinados à identificação de estrelas.

“Por parte do INPE o mérito não é só meu, mas de toda a instituição. Sem o apoio de minha família e de várias pessoas dedicadas no INPE, AEB (Agência Espacial Brasileira) e CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), assim como nas instituições parceiras (TAMU e CUD), com certeza não chegaríamos a esta vitória”, diz Fialho, que atua na Coordenação de Engenharia e Tecnologia Espacial do INPE, em São José dos Campos (SP).


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Atualização de Nossas Campanhas

Olá leitor!

Hoje é a uma quinta-feira do mês de setembro e sendo assim é dia de atualizar você sobre as nossas campanhas em curso.

Bom leitor quanto à “Campanha para Regulamentação das Atividades de Grupos Amadores”, até esta semana 13 grupos já se inscreveram. São eles Auriflama FoguetesBANDEIRANTE Foguetes EducativosCarl SaganCEFABCEFECInfinitude FoguetismoITA Rocket Design, NTAProjeto JupiterUFABC Rocket Design e PEUE (Pesquisas Espaciais Universo Expansivo), Grupo Pionners Grupo: GREAVE. Vamos lá gente, cadê os grupos amadores desse país, vocês não querem se organizar? (OBS: Continuo esperando que os 13 grupos inscritos respondam se há algum entre vocês que tem o interesse de organizar e sediar um ‘Seminário’ para discutirmos as atividades de espaçomodelismo no Brasil?)

Já quanto á “Campanha de Manutenção do Blog”, apenas um colaborador realizou sua contribuição no mês de setembro no vakinha.com.br. Ele é:

1 - Leo Nivaldo Sandoli

OBS: informo aos leitores que ainda não sabem que  a campanha de manutenção do Blog pode ser acessada pelo link: http://www.vakinha.com.br/vaquinha/manutencao-do-blog-brazilian-space.

Enfim... vamos continuar aguardando que a partir da próxima semana haja uma mudança de postura de nossos leitores com as nossas campanhas, para que assim possamos efetivamente continuar contribuindo com o Programa Espacial Brasileiro, e quem sabe, com a permanência do blog online ou a criação do Portal Espacial que é hoje o nosso principal objetivo.

Duda Falcão

Brasil Envia Nova Proposta aos EUA de Parceira Sobre Uso da Base de Alcântara

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria postada ontem (27/09) no site do jornal “O Globo” destacando que o Brasil enviou Nova Proposta aos EUA de parceira sobre uso da Base de Alcântara.

Duda Falcão

BRASIL

Brasil Envia Nova Proposta aos EUA de
Parceira Sobre Uso da Base de Alcântara

Documento está em análise no Departamento de Estado
e visa lançamento de foguetes a partir do Maranhão

Por Henrique Gomes Batista,
correspondente
27/09/2017 - 18:01
Atualizado 27/09/2017 - 18:08

Foto: Terceiro / Divulgação
Veículo Lançador de Satélites (VLS) no
Centro de Lançamento de Alcântara, em 2013.

WASHINGTON — O Departamento de Estado americano está analisando, há cerca de dois meses, uma nova proposta do governo brasileiro de parceria para o lançamento de foguetes da base de Alcântara. Não há data para a conclusão desta avaliação, considerada importante pelas duas nações.

O governo brasileiro fez uma nova minuta a partir da proposta americana enviada ao Brasil em 2001 e que foi rejeitada pelo Congresso brasileiro. Um dos principais problemas para o acordo é a grande proteção e sigilo que os americanos pedem para seus equipamentos e informações. Sem o acordo com os EUA, o Brasil fechou uma parceria com a Ucrânia para o uso da base, que fracassou, causando um prejuízo milionário.

— Essa é uma questão que leva mais de 15 anos de discussão, que nesse momento está sendo reavivada a possibilidade de se chegar a um acordo. Há uma troca de documentos sobre como atualizar o acordo que daria as garantias técnicas que abria caminho para a exploração comercial — afirmou o embaixador americano no Brasil, Michael McKinley, na plenária anual do Conselho Empresarial Brasil - Estados Unidos.

— A área do espaço foi definida há muito tempo como outro campo em que podemos fazer colaboração e tem essa importância no meio de muitas outras coisas nas quais trabalhamos em conjunto — completou.

Sergio Amaral, embaixador brasileiro nos Estados Unidos, lembrou que o acordo de 2001 talvez não tenha sido aprovado por talvez ter sido "ïntrusivo" além do necessário. E lembrou que este acordo é importante para parcerias com outros países, pois a tecnologia americana está presente nos foguetes de muitos outros países.

— Ninguém questiona a proteção da informação, da tecnologia e dos equipamentos, mas questiona o grau de interferência no processo de lançamento (de foguetes) — disse o embaixador brasileiro. — Eu acho que se houver um pouco de flexibilidade dos dois lados é possível a gente completar isso (o acordo).


Fonte: Site do Jornal o Globo - http://oglobo.globo.com

Comentário: Bom leitor já falei por diversas vezes o que penso sobre isto e gostaria aqui de agradecer ao nosso leitor Carlos Cássio Oliveira pelo envio dessa notícia.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Potencialmente Perigoso, Asteroide 2012 TC4 Vai Raspar a Atmosfera da Terra

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (26/09) no site “Apollo11.com”, destacando que um potencialmente perigoso asteroide chamado “2012 TC4” vai raspar a atmosfera da Terra agora em outubro.

Duda Falcão

Editoria: Astronomia

Potencialmente Perigoso, Asteroide
2012 TC4 Vai Raspar a Atmosfera da Terra

Terça-feira, 26 set 2017 - 10h06

Há cinco anos, em outubro de 2012, o asteroide 2012 TC4 passou a apenas 94 mil km do nosso planeta, acima do cinturão de satélites geoestacionários. Agora, o objeto está de volta e deverá passar muito mais perto. Acompanhe.

Orbita do asteroide 2012 TC4.

As análises mais recentes mostram que 2012 TC4 passará novamente nas proximidades da Terra em 12 de outubro de 2017 e deverá chegar a apenas 43 mil km de distância da superfície do planeta, ligeiramente acima do Cinturão de Clark, região no espaço onde se encontram os satélites geoestacionários, a 36 mil km de altitude.

2012 TC4

2012 TC4 foi descoberto em 4 de outubro de 2012 através de imagens feitas pelo telescópio Panstarrs, no Havaí. Na ocasião, o objeto recebeu a denominação provisória P104imJ e teve seu tamanho estimado em aproximadamente 30 metros. Modelagens atuais estimam que o asteroide tenha cerca de 19 metros.

A rocha completa uma volta ao redor do Sol (período orbital) a cada 532 dias e no momento da máxima aproximação passará pela Terra a uma velocidade relativa de 7.65 km/s ou 27540 km/h. De acordo com o JPL, Laboratório de Propulsão a Jato, da Nasa, o momento do rasante será as 05h42 UTC, ou 02h42 BRT (Horário de Brasília).

Aproximação máxima do asteroide 2012 TC4. A seta
amarela aponta para o Sol. A azul mostra o sentido
de deslocamento da Terra. A linha verde mostra a
passagem de 2012 TC4, onde cada pontinho
representa o intervalo de 1 hora.

O peso aproximado de 2012 TC4 é de 11 mil toneladas. Viajando nesta velocidade, sua energia cinética é de 270 terajoules. Caso se chocasse contra a Terra, liberaria a mesma energia contida em 64 mil toneladas-equivalentes de TNT.

Para Györgyey-Ries, cientista ligada ao programa de observações de asteroides da Nasa, ainda pairam algumas incertezas sobre a orbita de 2012 TC4, mas elas só devem afetar a avaliação do instante da maior aproximação. "Apesar das dúvidas, os cálculos mostram que não há risco de choque", explicou a pesquisadora.

Makoto Yoshikawa, da Agência Espacial Japonesa, concorda com sua colega estadunidense e se diz convencido que o asteroide não representa perigo. “Concordo que a distancia seja muito pequena, mas isso não significa que vai haver colisão".

Potencialmente Perigoso

2012 TC4 é um asteroide do grupo Apollo, que cruza a órbita da terra de modo similar ao objeto 1862 Apollo, com eixo semi-maior superior a 1 UA (Unidade Astronômica) e com periélio inferior a 1.017 UA. Lembrando que 1 Unidade Astronômica equivale a 149,5 milhões de quilômetros, a distância média da Terra ao Sol.

O termo classificatório Potencialmente Perigoso é dado justamente devido ao objeto cruzar a orbita da Terra.

Uma reanálise da orbita mostra que 2012 TC4 passou sorrateiramente pelas vizinhanças da Terra em 10 de fevereiro de 2010, sem que fosse observado. Na ocasião, a rocha passou a 0.24 UA, cerca de 35 milhões de quilômetros.

A Lua também está na mira do asteroide na passagem de 12 de outubro de 2017. Estima-se que a rocha passará pelas vizinhanças do nosso satélite as 16h19 BRT, algumas horas depois de raspar a atmosfera da Terra.


Fonte: Site Apolo11 -  http://www.apolo11.com/

Mobilização da Comunidade Científica é Fundamental Para Garantir Recursos, Diz Ministro

Olá leitor!

Segue abaixo nota postada ontem (26/09) no site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), destacando que mobilização da Comunidade Científica é fundamental para garantir recursos, disse o ministro Gilberto Kassab.

Duda Falcão

NOTÍCIAS

Mobilização da Comunidade Científica
é Fundamental Para Garantir
Recursos, Diz Ministro

Por ASCOM
Publicado 26/09/2017 - 15h00
Última modificação 26/09/2017 16h11

Foto: ASCOM/MCTIC
Gilberto Kassab conheceu as instalações
do INPE em Cachoeira Paulista (SP).

Na cerimônia em comemoração pelos 47 anos da unidade de Cachoeira Paulista (SP) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) defendeu a ampla mobilização da comunidade científica para garantir recursos para a ciência. “Durante 20 anos, não teremos recursos novos ou extraordinários no nosso país”, disse Kassab em referência à Lei do Teto de Gastos.

“Sempre que frequento uma comunidade de excelência, digo que, se não nos mobilizarmos, não vamos ter recursos. É fundamental definir com clareza o papel da ciência, da pesquisa e da inovação no nosso país. Porque tem esse teto, em que vamos brigar com todas as outras áreas do governo, que também são importantes. E ganha quem se mobilizar melhor”, advertiu o ministro.

Kassab ressaltou que o investimento em pesquisa e desenvolvimento é parte importante para recuperar a economia brasileira, que já vem dando sinais de melhora. Um dos meios para ampliar esse crescimento é o investimento no setor, como fez a Coreia do Sul no passado.

“Com a crise econômica, não há país no mundo que não tenha dado um destaque a esse setor depois que passou por um momento de dificuldades. Temos a Coreia do Sul, que, em pouco tempo, com investimentos nesse setor, conseguiu solucionar os seus graves problemas econômicos e, hoje, é um exemplo para todo o mundo. E não tem porque o Brasil não ter a mesma conduta e, com certeza, ter os mesmos resultados.”

Referência Mundial

O ministro também destacou o trabalho desenvolvido pelo Inpe. “No campo da meteorologia e das outras atividades aqui realizadas, o Inpe tem uma ação de excelência, reconhecida em todos os cantos do planeta. E precisamos daquilo que aqui se faz e valorizar os recursos humanos que aqui se encontram, para que eles estejam preparados para continuar fazendo do Brasil um país de perspectivas”, afirmou.


Fonte: Site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC)

Comentário: Curioso isso, Kkkkkkkk. Pois é leitor, até mesmo quem não merece tanta confiança reconhece a passividade da Comunidade Científica. Venho dizendo há anos que com essa postura de pedinte, jamais o setor de C&T será prioridade neste país. Ou vocês amadurecem e vão à luta ou vão continuar sendo manipulados ao bel prazer e necessidade desses POPULISTAS de merda e vivendo de migalhas. 

Simpósio de Teste de Software Premia Trabalho do INPE

Caro leitor!

Segue abaixo leitor uma nota postada ontem (26/09) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que Simpósio de Teste de Software premia trabalho do INPE.

Duda Falcão

Simpósio de Teste de Software
Premia Trabalho do INPE

Terça-feira, 26 de Setembro de 2017

O artigo “From Statecharts into Model Checking: A Hierarchy-based Translation and Specification Patterns Properties to Generate Test Cases” obteve a segunda colocação entre os trabalhos apresentados no II Simpósio Brasileiro de Teste de Software Sistemático e Automatizado (SAST 2017).

Desenvolvido no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o trabalho é resultado do projeto de iniciação científica “Testes de Software via Model Checking para Sistemas Espaciais Críticos” de Felipe Elias Costa da Silva, aluno do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL), orientado por Valdivino Alexandre de Santiago Júnior, tecnologista do Laboratório Associado de Computação e Matemática Aplicada do INPE.

O aluno teve a orientação do tecnologista e também docente do Programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada do INPE por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC/CNPq).

O SAST 2017, realizado entre 18 e 19 de setembro em Fortaleza (CE), foi um dos simpósios do VIII Congresso Brasileiro de Software: Teoria e Prática (CBSoft 2017). Seu objetivo é construir um fórum que agregue a comunidade de pesquisa e a indústria de software de forma a discutir melhorias na sistematização e automação de teste de software. Principal evento de teste de software no Brasil, o SAST 2017 foi promovido pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC).


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Centro de Lançamento de Alcântara Realiza Novo Lançamento de Foguete

Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria muito interessante postada dia (22/09) no site “G1” do globo.com, destacando que na tarde da quinta-feira passada (21/09) foi lançado com sucesso, mais um "Foguete de Treinamento Intermediário (FTI)"  do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).

Duda Falcão

MARANHÃO

Centro de Lançamento de Alcântara
Realiza Novo Lançamento de Foguete

O lançamento do foguete faz parte do programa da Agência Espacial
Brasileira (AEB), que pretende colocar satélites em orbita.

Por G1 MA
22/09/2017 - 10h04
Atualizado 22/09/2017 - 10h04

Centro de Lançamento de Alcântara realiza novo lançamento de foguete.

Foi lançado na tarde dessa quinta-feira (21), um foguete de treinamento no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), a 89 km de São Luís. A ação consiste em mais um passo do Programa Espacial Brasileiro em colocar satélites em orbita.

Com cinco metros e meio de comprimento e 30 quilos, o foguete atingiu 46,5 quilômetros de altitude em três minutos e 46 segundos, e caiu no mar a 76 quilômetros da plataforma de Alcântara. O lançamento marcou o fim do projeto VLS e a Agência Espacial Brasileira (AEB) trabalha em um desenvolvimento de um VLM, um tipo de foguete adaptado para pequenos satélites. O primeiro teste com o foguete deve ocorrer até 2020 na península de Alcântara.

(Fotos: Reprodução/TV Mirante)
Novo foguete é testado no Centro de
Lançamento de Alcântara (CLA). 

O programa foi seguido por duas missões, uma realizada na cidade de São José dos Campos em São Paulo, onde estão concentradas as principais ações do programa espacial brasileiro e uma outra localizado no CLA no Maranhão. Com a retomada do projeto espacial, a intenção é que o CLA seja ampliado em mais 12 mil hectares, que já possui um território de 62 mil hectares.

O Ministério Público Federal (MPF), a Advocacia-Geral da União (AGU) e Justiça Federal estão acompanhando os detalhes do projeto de expansão que acontece no momento em que o Governo Federal retomou as negociações para o uso internacional do Centro de Lançamento de Alcântara. O projeto de expansão vem enfrentando resistência por parte das comunidades que vivem nessa área, principalmente por se tratar de uma área em vivem várias comunidades quilombolas, que não aceitam sua retirada do local.

Uso de Alcântara está sendo negociado com
os Estados Unidos, Rússia, França e Israel. 

Hilton de Melo, procurador federal, diz que ainda existem pontos da expansão que ainda sejam explicados. “O plano geral de dessa expansão, ou consolidação como se queira chamar, ainda tem lides com tornos muito mal explicados, a gente ainda precisa obter melhores esclarecimentos”, explica.

O coronel Luciano Rechiuti, diretor do CLA, diz que a intenção é retomar os diálogos para convencer os quilombolas que a expansão do centro é estratégica para o país. “O diálogo tem sido buscado pelo Governo Federal porque esse não é um projeto da Força Área ou do Comando da Aeronáutica, são projetos de Brasil. Estamos aqui totalmente prontos para trabalhar tanto com as empresas nacionais e internacionais ou governos do Brasil ou governos de outras nações, no intuito de realizar lançamento de foguetes estamos preparados para isso”, explica.

Expansão do Centro de Lançamento de Alcântara enfrenta resistência
por parte das comunidades quilombolas que vivem no local. 

OBS: Abaixo segue a matéria da TV Brasil sobre este lançamento exibida pela emissora no dia 22/09.



Fonte: Site “G1” do globo.com – 22/09/2017

Comentário: Só lembrando leitor de que o próximo lançamento no mês que vem citado na matéria muito provavelmente é a tal "Operação Mutiti", e eu estou muito curioso para conhecer seus objetivos. Aproveitamos para agradecer publicamente ao nosso leitor Jahyr Jesus Brito pelo envio dessa notícia e dos vídeos.

Nova Rede de Dados Permite Registro Mais Preciso de Raios

Caro leitor!

Segue abaixo leitor uma nota postada ontem (25/09) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que Nova Rede de Dados permite registro mais preciso de Raios.

Duda Falcão

Nova Rede de Dados Permite
Registro Mais Preciso de Raios

Segunda-feira, 25 de Setembro de 2017

Levantamento inédito realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) revela valores mais precisos da incidência de raios no país. Nos últimos seis anos, o número médio anual de raios no Brasil foi de 77,8 milhões. Este valor é bem superior ao obtido no levantamento realizado em 2002, que apontava cerca de 55 milhões de raios.

A diferença é atribuída às limitações do levantamento anterior feito com base em dados de satélites que apresentavam restrições devido à amostragem temporal (os satélites não eram geoestacionários), eficiência de detecção (dependente do tipo de tempestade) e discriminação entre as descargas que atingem o solo (raios) e aquelas que ficam dentro das nuvens.

Realizado pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do INPE, o novo levantamento foi obtido por meio da rede BrasilDATDataset que integra diferentes tecnologias de detecção de raios em superfície e permite identificar os raios com maior precisão.

Os novos dados apontam que 2012 registrou o número máximo de raios em todo o período analisado: 94,3 milhões. A justificativa está no aumento acentuado de raios na região norte relacionado ao evento La Niña observado naquele ano. Após 2012, um decréscimo quase que constante é visto ao longo do período. Em 2013 foram 92 milhões, em 2014 foram 62,9 milhões e em 2015 foram 68,6 milhões de raios, ano em que um acréscimo é observado devido ao registro do evento intenso El Niño, responsável pelo aumento acentuado dos raios nas regiões sul e parte das regiões sudeste e centro-oeste.

A quantidade de raios identificada indica que os fenômenos El Niño e La Niña modulam a ocorrência de raios no Brasil numa intensidade muito acima do que poderia ser esperado em consequência do aquecimento global.

“O novo ranking permite números mais precisos sobre a ocorrência de raios no país e suas variações anuais, o que permite identificar quais fenômenos são responsáveis por estas variações, além de permitir, em longo prazo, acompanhar os efeitos das mudanças climáticas sobre a incidência de raios em nosso país”, diz o pesquisador Osmar Pinto Junior, coordenador do ELAT/INPE.

Outro dado relevante mostra que no levantamento anterior o número de raios na região norte foi subestimado. Como exemplo, o estado do Amazonas, que no primeiro levantamento apresentou a média de 11 milhões de raios por ano, passa a ter, atualmente, uma média de aproximadamente de 15,8 milhões de raios por ano.

A nova rede BrasilDATDataset, além de detectar cerca de 99% das tempestades que ocorrem no país, tem uma base de dados de raios que permite esclarecer a causa da maior parte dos eventos associados aos raios, que anteriormente muitas vezes não tinham uma explicação satisfatória, como danos patrimoniais em que não há vestígio da ocorrência de raios, mortes de pessoas sozinhas no meio rural cuja causa suspeita é um infarto, entre outros.

A rede também permite aperfeiçoar as ferramentas de alerta para a proteção de vidas, considerando que no Brasil em média 300 pessoas por ano são atingidas por raios, das quais cerca de 100 morrem. O número, embora tenha reduzido nos últimos anos, em partes, devido à redução no número de raios, ainda é muito alto comparado a países desenvolvidos.

Estados e Municípios

Foram detectados valores mais precisos da densidade de raios (quantidade de raios por quilômetro quadrado por ano) para os diversos estados e municípios brasileiros. O estado com maior densidade é o Tocantins, com 17,1 raios por quilômetro quadrado seguido por Amazonas (15,8), Acre (15,8), Maranhão (13,3), Pará (12,4), Rondônia (11,4), Mato Grosso (11,1), Roraima (7,9), Piauí (7,7) e São Paulo (5,2), que são os 10 primeiros estados com maior densidade de raios por quilômetro quadrado por ano.

A cidade de Santa Maria das Barreiras, no Pará, apresenta um índice de 44,32 raios por quilômetro quadrado por ano e carrega o título de município com maior densidade de raios do país, enquanto que a cidade de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, é campeã na probabilidade de morrer atingido por raio, com 20,63 mortes por milhão de habitantes por ano. São Gabriel da Cachoeira tem uma densidade de raios de 24,51 raios por quilômetro quadrado por ano, superior a todas as capitais brasileiras.

O ranking das cinco primeiras capitais com maior densidade de raios por quilômetro quadrado por ano fica por conta de Rio Branco (30,13) Palmas (19,21), Manaus (18,93), São Luís (15,12), Belém (14,47) e São Paulo (13,26), ao passo que as capitais com maior probabilidade de morrer atingido por raio são respectivamente, Porto Velho, Boa Vista, Campo Grande, Rio Branco e Palmas.

Entre as cidades com mais de 650 mil habitantes, Osasco, Santo André, Guarulhos e São Bernardo do Campo, todas localizadas na grande São Paulo, apresentam, respectivamente, valores de densidade acima de 10, em consequência da influência da urbanização na ocorrência de raios. Por outro lado, entre estas cidades, São José dos Campos apresenta a maior probabilidade de morrer atingido por um raio.



Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

CEPA de Patos de Minas Realiza Com Sucesso Lançamento de Minifoguete.

Olá leitor!

Você está lembrado do já abordado pelo Blog “Clube de Espaçomodelismo de Patos de Minas (CEPA)”? (reveja aqui).

Pois então, no dia 23/09 (sábado passado), sob a coordenação do diretor do Clube, o Sr. Sérgio Melo Moraes (carinhosamente chamado de Mineirinho pelo Carlos Cassio Oliveira, presidente do CEFAB da Bahia), foi realizado na região rural desta cidade do interior mineiro o lançamento do “Foguete VB-2”, foguete este desenvolvido por este clube amador de foguetemodelismo do Estado de Minas.

Sr. Sérgio Melo Moraes (Mineirinho) com o foguete VB-2.

Segundo o que eu pude entender, o lançamento do foguete foi bem sucedido, porém o paraquedas do sistema de recuperação não abriu. Assim sendo em breve uma investigação será conduzida pelo CEPA para identificar o que houve.

Vale também acrescentar que tanto o sistema de recuperação (veja no vídeo abaixo) como o próprio propelente do foguete, foram desenvolvidos pelo CEPA, e em breve grandes novidades serão divulgadas por este ativo clube amador de foguetemodelismo mineiro. Acreditem, irá surpreender muita gente.

Teste do sistema de recuperação.

Segue abaixo algumas fotos e vídeos do lançamento.


Duda Falcão


Fonte: “Clube de Espaçomodelismo de Patos de Minas (CEPA)”

sábado, 23 de setembro de 2017

NASA Reconhece Experiência de Cientistas Amadores de Vitória da Conquista e os Indicada ao Nobel de Física

Olá leitor!

Segue abaixo uma interessante notícia postada dia (01/09) no blog “Sudoeste Digital” que foi pouco divulgada pela mídia nacional e que agora trago para o nosso leitor. Segundo este Blog a NASA reconheceu experiência de dois cientistas amadores baianos da cidade de Vitória da Conquista, que obtiveram assim, pasmem, a indicação para o Nobel de Física.

Duda Falcão

NASA Reconhece Experiência de Cientistas
Amadores de Conquista; Dupla de Baianos
Também Foi Indicada ao Nobel de Física

Por Jussara Novaes,
Agência de Notícias Sudoeste Digital
Sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Imagens: J. C. d’Almeida

A partir de equipamentos básicos, anos-luz dos utilizados pelos renomados pesquisadores mundiais, a dupla de cientistas amadores baianos, Nearck Ferraz Abade e André Barros Cairo, analisaram a teoria de Max Plank sobre a 5ª Dimensão.

Na prática, eles descobriram ser possível sairmos das três dimensões visíveis, comprimento, largura e altura, em que prótons, neutros e elétrons formam a matéria visível, indo para 5ª Dimensão composta por pósitrons, neutrinos, quarks e outras partículas subatômicas. 

Os experimentos devem ser aproveitados pela comunidade científica, contribuindo com a limpeza do lixo espacial, restos de satélites, foguetes, equipamentos, a exemplo da Estação MIR, que caiu na Terra em 2013, contribuindo com a importância do planeta, em se livrar do lixo atômico.

Como exemplo, citam os casos Chernobyl, Rússia e Goiânia, no Brasil, entre outros países, eliminando sucatas existentes no espaço. leia mais abaixo em: CHERNOBYL E GOIÂNIA: AS TRAGÉDIAS ATÔMICAS.

André Cairo e Neark Abade (D) analisaram a
teoria de Max Plank sobre a 5ª Dimensão.

A descoberta, feita em 3 de maio de 2012, chamou a atenção dos cientistas da NASA, a agência do Governo Federal dos Estados Unidos responsável pela pesquisa e desenvolvimento de tecnologias e programas de exploração espacial. 

Com a missão oficial de "fomentar o futuro na pesquisa, descoberta e exploração espacial",  a NASA contactou com os baianos de Vitória da Conquista, a 509 km de Salvador e, após análises dos experimentos, indicou a dupla ao Prêmio Nobel de Física, por meio do cientista americano Thomas Huding.

A princípio, falar em “indicação” para o Nobel parece um tanto estranho, mas existe, sim, um processo de encaminhamento de nomes para a Academia. Todos os anos, ex-ganhadores do Nobel enviam indicações de outros potenciais laureados. Membros da Academia também indicam candidatos.

SUCESSÃO DE EXPERIMENTOS

Neark, que possui mestrado em Química, Biologia e doutorado em Física e Cairo, que além de pesquisador é ufólogo, astrônomo e ambientalista, ralizaram o primeiro experimento em novembro de 2010, utilizando equipamentos primários, como um mini reator, micro-ampere, micro-volt, estojos de multi-reações e túnel com ímãs.

Assim, eles retiveram a luz num campo magnético. Foi o bastante para receber a recomendação da NASA, segundo Cairo. . Eles ainda receberam como prêmio do Ciências Sem Fronteiras um equipamento de última geração. "Para o segundo experimento sobre a 5ª Dimensão, em 2012, recebemos uma Bolsa de Pesquisas, além de referências positivas a nós sobre a inédita experiência", comemorou.

AS TRAGÉDIAS ATÔMICAS

Chernobyl

No ano de 1986, os operadores da usina nuclear de Chernobyl, na Ucrânia, realizaram um experimento com o reator 4. A intenção inicial era observar o comportamento do reator nuclear quando utilizado com baixos níveis de energia. Contudo, para que o teste fosse possível, os responsáveis pela unidade teriam que quebrar o cumprimento de uma série de regras de segurança indispensáveis. Foi nesse momento que uma enorme tragédia nuclear se desenhou no Leste Europeu.

Entre outros erros, os funcionários envolvidos no episódio interromperam a circulação do sistema hidráulico que controlava as temperaturas do reator. Com isso, mesmo operando com uma capacidade inferior, o reator entrou em um processo de superaquecimento incapaz de ser revertido. Em poucos instantes a formação de uma imensa bola de fogo anunciava a explosão do reator rico em Urânio-235, elemento químico de grande poder radioativo.

Goiânia

Há exatos 30 anos, Goiânia era atingida por aquele que é considerado o maior acidente radiológico do mundo. A tragédia envolvendo o césio-137 deixou centenas de pessoas mortas contaminadas pelo elemento e outras tantas com sequelas irreversíveis. No âmbito radioativo, o Césio 137 só não foi maior que o acidente na usina nuclear de Chernobyl, em 1986, na Ucrânia, segundo a Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen). O incidente teve início depois que dois jovens catadores de papel encontraram e abriram um aparelho contendo o elemento radioativo. A peça foi achada em um prédio abandonado, onde funcionava uma clínica desativada.

Eles pensavam em retirar o chumbo e o metal para vender e ignoravam que dentro do equipamento havia uma cápsula contendo césio-137, um metal radioativo. Apesar de o aparelho pesar cerca de 100 kg, a dupla o levou para casa de um deles, no Centro. Já no primeiro dia de contato com o material, ambos começaram a apresentar sintomas de contaminação radioativa, como tonteiras, náuseas e vômitos. Inicialmente, não associaram o mal-estar ao césio-137, e sim à alimentação.

Depois de cinco dias, o equipamento foi vendido para Devair Alves Ferreira, dono de um ferro-velho localizado no Setor Aeroporto, também na região central da cidade. Neste local, a cápsula foi aberta e, à noite, Devair constatou que o material tinha um brilho azul intenso e levou o material para dentro de casa. CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS 


Fonte: Site Sudoeste Digital - http://www.sudoestedigital.com

Comentário: Sensacional notícia. Entretanto esta matéria do Blog Sudoeste Digital não é clara quanto ao ano que esses pesquisadores baianos foram indicados ao Nobel de Física. Seria o mesmo ano da descoberta? Ou seja 2012, enfim... seja como for, os pesquisadores Nearck Ferraz Abade e André Barros Cairo estão de parabéns. Aproveitamos para agradecer ao nosso leitor Carlos Cássio Oliveira (CEFAB) pelo envio dessa notícia.